Afinal, o que são arritmias cardíacas nesta pandemia

Por incrível que possa parecer, as várias mídias informam desde verdades até

graves exageros sem fundamentos médicos técnicos. Vamos explicar as arritmias

relacionadas com a pandemia do novo coronavírus. Os sentimentos vão desde um

medo exagerado até um desprezo pelo risco de arritmias.


Na pratica esportiva se sabe que os exageros de intensidade e de volume do

atleta, sem avaliação e controle de um profissional de educação física e um

cardiologista levam a surgimento de arritmias de toda ordem, e facilita ser acometido

de uma virose, pela queda da imunidade pelos excessos físicos, podendo produzir

desde alterações no sistema elétrico do coração até lesões cicatriciais no miocárdio.


As arritmias do tipo bloqueios elétricos no coração, provocando bradicardias

importantes, até o surgimento de focos inflamatórios milimétricos no miocárdio que

funcionam como verdadeiros gatilhos das falhas sentidas na pulsação, chamadas de

extrassístoles ou então disparos dos batimentos conhecidos taquicardias que atingem

mais de 100 a 120 batimentos por minuto, percebidas como aceleração da pulsação

cardíaca. A tudo isso, chamamos de arritmia cardíaca causada por uma complicação

de uma virose, a miocardite e pericardite (pericárdio e a película que reveste o

coração).


Essas arritmias podem surgir no início da inflamação viral, como também

semanas depois de curada. Por isso o tanto o doente agudo como aquele já curado de

uma virose deve ficar sob observação cardiológica por 60 a 90 dias em média

procurando possíveis sequelas.


Os tratamentos são bem estabelecidos e começam com afastamento das

atividades físicas e esportivas por 180 dias em média e uso de medicações

antiarrítmicas e se for necessário, implante de marca-passo cardíaco e desfibrilador

cardíaco interno.


Outra situação peculiar é o risco de algumas das medicações usadas nos

tratamentos do COVID-19. Tanto a cloroquina e suas variantes como a azitromicina,

nas doses elevadas que são usadas contra essa virose tem um efeito colateral dose

dependente que é o de alargar o impulso elétrico natural do coração, mas aí temos

uma situação peculiar, pessoas com vida aparentemente normal, podem ter uma

doença genética conhecida como síndrome do QT longo, com risco de arritmias

graves de alto risco e se usarem altas doses de medicamentos como a

hidroxicloroquina com ou associada à azitromicina, terão um elevado risco de

desenvolver taquicardias malignas, que quase sempre levam á uma parada cardíaca.


Em pacientes internados pelo COVID-19 ou outras viroses são usados todos os

medicamentos que podem ajudar a vencer uma virose, porém as monitorização e

outros controles nos ajudam a controlar as arritmias e suas possíveis consequências.


Enfim podemos deixar para todos a certeza que todos medicamentos

existentes tem efeitos colaterais em menor ou maior intensidade, porém se o benefício

é maior que o risco poderão ser utilizados com eficiente resultado e baixo risco de

suas complicações. A automedicação é um ato de alto risco, seja qual for a

medicação. Sempre procure um médico ou farmacêutico para esclarecer os efeitos de

um medicamento. Os dados mundiais colocam a automedicação como causadora de

milhões de mortes.

Dr. Nabil GhorayebCardiologista e Especialista em Medicina do Esporte


#nabilghorayeb #cardioesporte #cardiologia #cardiologist #cardiologiadoesporte #medicinadoesporte #dantepazzanese#hcor #saopaulo #ipiranga #esporte #checkup #coracao #coronavirus #cardiopatia #quarentena #planodesaude #consultas

0 visualização

Consultório Privado Ipiranga

R. Bom Pastor, n° 1163 - Ipiranga - SP

Horário de Atendimento: Segunda a Sexta das 14h às 18:30h

 Tel: (11) 2273-7311

Consultório HCOR

R. Abílio Soares, n°250, 3º andar -  Paraíso - SP

Horário de Atendimento: Terças e Quintas das 12h às 13h30

 Tel: (11) 3053-6611

  • linkedin cardiologista Nabil Ghoraye
  • facebook cardiologista Nabil Ghoraye
  • instagram Nabil Ghorayeb

© 2019 por Nabil Ghorayeb, Criado orgulhosamente por CDC Marketing

WhatsApp_Logo-Transparente.png